domingo, 13 de fevereiro de 2011

Uma Defesa e um Refúgio


Boyd K. Packer
(outubro 1, 2006)
Falamos da Igreja como nosso refúgio, nossa defesa. Há segurança e proteção na Igreja.
No dia 26 de julho de 1847, seu terceiro dia no vale (o segundo tinha sido um domingo), Brigham Young, com alguns membros dos Doze e outras pessoas, subiu até o alto de um monte que ficava a cerca de três quilômetros de onde me encontro agora. Acharam ser um bom lugar para erguerem um estandarte para as nações. Heber C. Kimball usava um grande lenço amarelo. Eles prenderam o lenço à bengala de Willard Richards e o agitaram no ar, um estandarte para as nações. Brigham Young deu ao monte o nome de Pico do Estandarte. 1
Depois, desceram para junto de seus velhos carroções, onde estavam as poucas coisas que carregaram por mais de três mil quilômetros, e de seus seguidores cansados da viagem. Não foram as coisas que possuíam que lhes deram forças, mas, sim, o que sabiam.
Sabiam que eram apóstolos do Senhor Jesus Cristo. Sabiam que o sacerdócio lhes havia sido concedido por mensageiros angelicais. Sabiam que tinham os mandamentos e convênios que ofereciam a oportunidade de salvação e exaltação eternas para toda a humanidade. Tinham a certeza de que a inspiração do Espírito Santo estava com eles.
Apressaram-se em plantar hortas e erguer abrigos contra o inverno que logo chegaria. Prepararam-se para receber outros irmãos que já estavam nas planícies, seguindo-os até aquele novo lugar de coligação.
Uma revelação, escrita nove anos antes, ordenava: “Erguei-vos e brilhai, para que vossa luz seja um estandarte para as nações;
“E para que a reunião na terra de Sião e em suas estacas seja uma defesa e um refúgio contra a tempestade e contra a ira, quando for derramada, sem mistura, sobre toda a Terra” (D&C 115:5–6).
Eles deviam ser a “luz”, o “padrão”.
Esse padrão, estabelecido por revelação, está contido nas escrituras, nas doutrinas do evangelho de Jesus Cristo. Os princípios do evangelho que seguimos baseiam-se na doutrina, e os padrões estão de acordo com os princípios. Estamos obrigados por convênio a seguir os padrões, quando ministrados por meio das ordenanças do evangelho por aqueles que receberam o sacerdócio e as chaves de autoridade.
Aqueles irmãos fiéis não tinham, como nós também não temos, a liberdade de alterar os padrões ou de ignorá-los. Precisamos vivê-los.
Não é solução nem consolo simplesmente dizer que eles não importam. Todos sabemos que importam, sim, porque todos os homens são “ensinados suficientemente para distinguirem o bem do mal” (2 Néfi 2:5).
Se estivermos fazendo o melhor possível, não devemos desanimar. Quando deixamos de atingir a perfeição, como acontece, ou tropeçamos, como pode ocorrer, sempre haverá o remédio do arrependimento e do perdão.
Devemos ensinar o padrão moral a nossos filhos para que se abstenham de todo tipo de imoralidade. Os preciosos poderes contidos em seu corpo mortal devem ser “empregados somente entre homem e mulher legalmente casados”. 2 Precisamos ser totalmente fiéis no casamento.
Devemos cumprir a lei do dízimo. Devemos cumprir nossas responsabilidades na Igreja. Devemos nos reunir todas as semanas na reunião sacramental para renovar os convênios e tornar-nos merecedores das promessas proferidas naquelas orações simples e sagradas do pão e da água. Devemos honrar o sacerdócio e ser obedientes aos convênios e ordenanças.
Aqueles irmãos que estavam no Pico do Estandarte sabiam que deveriam levar uma vida comum e manter a imagem de Cristo gravada em seu semblante (ver Alma 5:14).
Compreendiam que as estacas deveriam ser uma defesa e um refúgio, numa época em que não havia uma única estaca na Terra. Sabiam que tinham a missão de estabelecer estacas de Sião em toda nação da Terra.
Talvez tenham se perguntado que tipo de ira ou tempestade ainda seria derramada, a qual ainda não tivessem experimentado. Tiveram de suportar uma oposição selvagem, a violência e o terrorismo. Seus lares tinham sido queimados, suas propriedades, roubadas. Tinham sido expulsos de seus lares muitas e muitas vezes. Sabiam, então, como sabemos hoje, que a oposição nunca teria fim. A natureza dela muda, mas nunca termina. Não haveria fim para os tipos de desafios que os primeiros santos enfrentariam. Os novos desafios seriam diferentes, mas certamente não menores do que eles tinham enfrentado pelo caminho.
Existem hoje milhares de estacas de Sião espalhadas pelo mundo inteiro. Há milhões de membros, e esse número continua aumentando. Não é possível impedir que isso aconteça, porque esta é a obra do Senhor. Atualmente há membros em 169 nações e falam mais de 200 idiomas.
Alguns vivem com um medo inexprimível das coisas que nós e a Igreja viremos a enfrentar no mundo. Cada vez há mais trevas na moralidade e espiritualidade. Se nos reunirmos na Igreja, vivermos os princípios simples do evangelho, seguirmos os padrões morais, obedecermos à Palavra de Sabedoria, cumprirmos nossos deveres do sacerdócio e outros encargos, então não precisaremos viver com medo. A Palavra de Sabedoria é um ponto-chave tanto para a saúde física, quanto para a revelação. Abstenham-se de usar chá preto, café, bebidas alcóolicas, fumo e drogas.
Podemos morar onde quisermos, fazendo o melhor possível para ganhar nosso sustento, seja ele modesto ou abundante. Temos a liberdade de fazer o que quisermos com nossa vida, com a certeza da aprovação e até da intervenção do Todo-Poderoso, confiantes na constante orientação espiritual.
Cada estaca é uma defesa, um refúgio e um padrão. Uma estaca contém em si mesma tudo o que é necessário para a salvação e exaltação daqueles que procuram viver sob sua influência, e os templos estão cada vez mais próximos.
Não há fim para a oposição. Há muitos mal-entendidos em relação a nós e nossa história, alguns dos quais são mal-intencionados e sem dúvida contrários aos ensinamentos de Jesus Cristo e Seu evangelho. Às vezes, sofremos oposição de ministros e até de organizações religiosas. Eles fazem coisas que jamais faríamos. Não atacamos, criticamos ou perseguimos as pessoas como eles fazem conosco.
Até hoje, existem histórias absurdas que são transmitidas e repetidas tantas vezes que as pessoas passam a acreditar nelas. Uma das mais tolas é a de que os mórmons têm chifres.
Há vários anos, eu estava num simpósio em uma faculdade do Oregon. Ali presentes estavam um bispo católico, um rabino, um ministro episcopal, um ministro evangélico, um religioso da igreja unitária e eu.
O presidente da escola, o Dr. Bennett, foi o anfitrião de um desjejum. Um dos presentes perguntou-me qual das minhas esposas estava me acompanhando. Respondi que eu tinha uma única esposa muito especial. Por um segundo, achei que estavam tentando me constranger. Então, alguém perguntou ao bispo católico se ele estava acompanhado da esposa dele.
A pergunta seguinte foi feita pelo Dr. Bennett para mim: “É verdade que os mórmons têm chifres?”
Sorri e disse: “Penteio o cabelo, para que as pessoas não possam vê-los”.
O Dr. Bennett, que era completamente calvo, cobriu o alto da cabeça com as mãos e disse: “Oh! Vocês nunca conseguirão fazer com que eu vire mórmon!”
O mais estranho de tudo é que há pessoas inteligentes que afirmam que não somos cristãos. Isso mostra que eles sabem bem pouco ou nada a nosso respeito. Um princípio verdadeiro declara que não podemos elevar-nos rebaixando os outros.
Alguns imaginam que nossos elevados padrões impedem nosso crescimento. É justamente o oposto. Os padrões elevados são como um ímã. Todos somos filhos de Deus e nos sentimos atraídos pela verdade e pelo bem.
Enfrentamos o desafio de criar uma família num mundo envolto em névoas de iniqüidade cada vez mais escuras. Alguns de nossos membros estão muito preocupados e às vezes se perguntam: Haverá algum lugar aonde eu possa ir para escapar de tudo isso? Há outra cidade, estado ou país que seja seguro, onde possamos encontrar refúgio? A resposta geralmente é não. A defesa e o refúgio estão onde nossos membros residem hoje.
O Livro de Mórmon profetizou: “Sim, e então a obra será iniciada e o Pai, em todas as nações, preparará o caminho pelo qual seu povo possa voltar à terra de sua herança” (3 Néfi 21:28).
Aqueles que saem do mundo e entram para a Igreja, guardam os mandamentos, honram o sacerdócio e se tornam ativos encontraram seu refúgio.
Há poucas semanas, em uma de nossas reuniões, o Élder Robert C. Oaks, um dos sete Presidentes dos Setenta (que é brigadeiro-do-ar aposentado e ex-comandante das forças aéreas da OTAN na Europa Central), lembrou-nos de um acordo assinado por dez nações, a bordo do encouraçado Missouri, na Baía de Tóquio, em 2 de setembro de 1945, que deu fim à Segunda Guerra Mundial. Alguns de nós estávamos na Ásia na ocasião. O Élder (Brigadeiro) Oaks disse: “Não posso nem imaginar uma situação atual em que uma reunião assim pudesse ser realizada ou um acordo como esse pudesse ser assinado para dar fim à guerra que estamos travando contra o terrorismo e a iniqüidade. Não se trata desse tipo de guerra”.
Não devemos ter medo, mesmo estando num mundo em que as hostilidades nunca terão fim. A guerra da oposição que foi profetizada nas revelações prossegue nos dias atuais. Devemos ser felizes e positivos. Não devemos ter medo. O medo é o oposto da fé.
Sabemos que a atividade na Igreja centraliza-se na família. Onde quer que haja membros da Igreja no mundo, eles devem estabelecer uma família na qual os filhos sejam bem-vindos e valorizados como “herança do Senhor” (Salmos 127:3). Uma família de santos dos últimos dias digna é um padrão para o mundo.
Não apenas devemos manter os mais elevados padrões, mas também cada um de nós deve ser um padrão, uma defesa, um refúgio. Devemos fazer com que “assim resplandeça a [nossa] luz diante dos homens, para que vejam as [nossas] boas obras e glorifiquem a [nosso] Pai, que está nos céus” (Mateus 5:16; ver também 3 Néfi 12:16).
Todas as lutas e esforços das gerações passadas proporcionaram-nos hoje a plenitude do evangelho de Jesus Cristo, a autoridade para ministrar e o meio para cumprir o ministério. Tudo está reunido nesta dispensação da plenitude dos tempos, na qual a consumação de todas as coisas será concluída e a Terra será preparada para a vinda do Senhor.
Fazemos parte desse trabalho tanto quanto aqueles homens que desfraldaram o lenço amarelo preso à bengala de Willard Richards e desceram do Pico do Estandarte. Aquele lenço, que foi agitado há muito tempo, sinalizou o início da grande coligação que foi profetizada nas escrituras antigas e modernas.
Falamos da Igreja como nosso refúgio, nossa defesa. Há segurança e proteção na Igreja. Ela centraliza-se no evangelho de Jesus Cristo. Os santos dos últimos dias aprendem a procurar dentro de si mesmos o poder redentor do Salvador de toda a humanidade. Os princípios do evangelho ensinados na Igreja e aprendidos nas escrituras são um guia para cada um de nós individualmente e para nossa família.
Sabemos que o lar que estabelecemos e o lar de nossos descendentes serão o refúgio mencionado nas revelações — a “luz”, o “padrão”, o “estandarte” para todas as nações e o “refúgio” contra as tempestades que virão (ver D&C 115:5–6; Isaías 11:12; 2 Néfi 21:12).
O estandarte junto ao qual todos nos devemos reunir é Jesus Cristo, o Filho de Deus, o Unigênito do Pai. Esta é a Sua Igreja, tomamos sobre nós o Seu nome e possuímos a Sua autoridade.
Esperamos ansiosamente com fé. Vimos muitas coisas na vida, e muitas outras virão para colocar nossa coragem à prova e aumentar nossa fé. Devemos “[exultar] e [alegrar-nos], porque é grande o [nosso] galardão nos céus” (Mateus 5:12).
“Defendam com firmeza a história da Igreja e não [se envergonhem] do evangelho de [Jesus] Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê” (Romanos 1:16).
Enfrentaremos os desafios, pois não podemos evitá-los, proclamaremos o evangelho de Jesus Cristo e ensinaremos a respeito Dele, como nosso Salvador, nosso Refúgio e nosso Redentor.
Se um velho lenço amarelo foi bom o suficiente para ser um estandarte para o mundo, então homens comuns que possuem o sacerdócio e mulheres e crianças comuns de famílias comuns, que vivem o evangelho da melhor maneira que podem no mundo inteiro, podem brilhar como um estandarte, uma defesa, um refúgio contra tudo o que será derramado sobre a Terra.
“Falamos de Cristo, regozijamo-nos em Cristo, pregamos a Cristo, profetizamos de Cristo e escrevemos de acordo com nossas profecias, para que nossos filhos saibam em que fonte procurar a remissão de seus pecados” (2 Néfi 25:26).
Esta Igreja prosperará. Ela prevalecerá. Disso tenho absoluta certeza. Presto meu testemunho em nome de Jesus Cristo. Amém.
  1. 1. Ver Diário de Wilford Woodruff, 26 de julho de 1847, Arquivos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias; ver também B. H. Roberts, A Comprehensive History of the Church, volume III, pp. 270–271.
  2. 2. “A Família: Proclamação ao Mundo”, A Liahona, outubro de 2004, p. 49.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

A Expiação de Jesus Cristo

(por Cleon Skousen)
19 de Fevereiro de 1982.
Queridos irmãos e irmãs,
Esta noite, gostaria de exprimir a minha gratidão pessoal, pelo privilégio de ser um
convidado neste local tão agradável e tão espiritual, e esta linda musica, cuja letra trata
de uma das nossas escrituras favoritas, é tão apropriada para o tema do discurso, que
com a benção do Senhor espero dar esta noite.
Alma declarou que gostaria de ter uma voz como a de um Anjo, para que pudesse soar
como uma trombeta e parar as pessoas nos seus caminhos, para que, depois de tudo
aquilo que os filhos de Mosias, e mesmo milhares que eles tinham trazido para se
juntarem aos nefitas, ele só desejava poder impedir os Lamanitas de os virem atacar. Ele
queria ter a voz de um Anjo para poder dizer-lhes que se arrependessem como tinham
feito os seus irmãos, e depois ele disse: "Bem, eu não deveria desejar algo para além
daquilo que Deus me chamou". E então deu-se a guerra, foi a pior batalha da história dos
filhos de Lei. (Alma29:1).
Enquanto eu estava aqui sentado, não pude deixar de pensar na voz de um outro Anjo,
que nos falou deste mesmo púlpito, se não me engano, em 19 de Dezembro de 1971,
aquela voz angélica que mal conseguia exprimir-se; era difícil compreender, pois tinha
sofrido uma operação bastante delicada que quase lhe roubara aquela voz, clara e
audível! Ele estava tão fraco em termos de fala que a primeira Presidência nem sequer
queria que ele viesse, mas esta era a Estaca dele e ele não queria perder a dedicação
deste lindo edifício de reuniões de Estaca, por isso ele veio cá e ainda que a sua
garganta dorida estivesse cheia de queimaduras de cobalto e muitas outras coisas, ele
falou o melhor que pôde. O coração dele estava tão mal que passou a noite toda
acordado. Vocês não devem ter conhecimento disso porque ele estava tão alegre e
entusiasmado, e exprimiu-se da melhor maneira que pôde, e simplesmente não poderia
perder isto.
Hoje ao falar com o Presidente Wrede, e o Presidente e a irmã Lyons, eles contaram
algumas das maravilhosas e excitantes coisas que aqui aconteceram nos bastidores da
cena ! Este homem maravilhoso pensou que vinha cá para se despedir de vocês, ele
pensava que estava no fim na sua jornada mortal. Ele saiu daqui e foi operado ao
coração. A sua voz era quase inaudível, e foi-lhe sugerido que continuasse a servir (como
um profeta do Senhor) ao Senhor no cargo de Profeta, ele disse: "Não, o irmão Lee é o
próximo e ele vai viver por muito tempo, muito mais tempo que nós Apóstolos mais
velhos" .
Quase três anos depois dessa semana, aquela voz angélica foi chamada para falar a
toda a nação, reino, língua e povo como Presidente da Igreja de Jesus Cristo dos Santos
dos Últimos Dias.
Ele cresceu neste vale, e partilha do vosso espírito, este Vale tem o espírito dele, e eu
sinto-o aqui, vocês têm o espírito dele.
Vocês são uma benção para ele, e ele foi uma benção para vocês.
Honro e presto homenagem ao nome do Presidente Spencer W. Kimball, esta noite. Pela
voz que é um dos mais efetivos e penetrantes chamados ao arrependimento, que esta
nação já alguma vez ouviu.
Eu tenho que sorrir para os meus alunos, porque quando o Presidente Kimball vem à
B.Y.U. nós temos sempre que deixar entrar mais umas duzentas pessoas do que o
Mariott Center comporta, por isso todos querem arranjar um lugar sentado em vez de um
em pé.
Bom ! de qualquer forma é bastante interessante observar; todos entram tão
entusiasmados, querem ouvir o profeta, todos amam o irmão Kimball, depois ele entra e
acena aos estudantes, tão cheio de boa vontade e amor por todos.
Então começa a falar sobre o milagre do perdão. Nunca consegui contar todos os
pecados que ele conhece, mas acho que ele não deixou nenhum esquecido. É incrível
aquilo que nos acontece. Todas as pessoas adoram ouvir o evangelho, e eu, adoro
principalmente de ouvir um discurso sobre arrependimento, sem assunto especifico. O
arrependimento na generalidade é lindo, mas quando começamos a ouvir um profeta a
discursar sobre os pecados de omissão e de ação, e todas as coisas que são possíveis,
então compreendemos o quão imperfeitos somos como seres humanos. E quando
estamos a fazêr algumas coisas bastante boas, há uma enorme area da nossa vida que
precisa de bastante atenção.
Eu notei uma coisa que disse aos meus alunos. Caramba, vocês ficaram muito sérios
quando saíram daquela reunião, e o vosso Amém foi pouco audível, mas sei que isso
aconteceu porque o tema lhes tocou. O nosso povo está cada vez mais forte e mais
espiritual devido à voz daquele anjo.
Quando ele estava em New York para ser operado à laringe, o médico disse: "não se
preocupe, tomaremos conta do assunto. É um pouco inconveniente não poder falar, mas
arranjaremos qualquer coisa para a substituir, não é uma coisa assim tão importante !" .
O profeta olhou para ele e disse: "Doutor, será que gostava de perder as suas mãos?" .O
médico respondeu: "Desculpe, desculpe ! é uma grande perda, e faremos tudo para
salvar essa voz" .
Assim, ainda que lhe seja difícil falar, notei na conferência em Outubro, principalmente na
sessão da manhã de Domingo, o quão difícil lhe era conseguir energia para fazer as
cordas vocais funcionar. Mas oramos por ele, pedimos ao Senhor para o capacitar a
terminar a conferência.
Nesta noite gostaria de partilhar convosco algumas coisas maravilhosas e poderosas,
quase que perdidas para a Igreja, e que o Presidente Kimball introduziu na sessão do
Sacerdócio no Sábado à noite de dia 2 de Abril.
Existem muitas coisas profundas e maravilhosas, que foram restauradas com o
evangelho, mas não são discutidas freqüentemente. Algumas das vezes que são
discutidas, ouvimos pessoas perguntarem: "Bem, se é assim, porque as autoridades
gerais não falam mais freqüentemente sobre elas??" . Bom, normalmente, quando as
autoridades gerais falam nas conferências, falam para o mundo. Mas se apanharmos as
autoridades gerais numa reunião do Sacerdócio, que é muito mais reservado, como
aquela que assistimos no Sábado passado, vamos ouvir falar disso. E cada vez
ouviremos mais e mais sobre isso. Se houver um grupo de missionários reunidos com
uma das autoridades gerais, falará sobre as grandes e profundas verdades do evangelho
que não são normalmente discutidas quando as autoridades gerais estão a falar para o
mundo. São coisas muito sagradas.
Presidente Kimball introduziu uma no Sábado à noite sobre a qual eu gostava de fazer
um breve comentário, visto que ela é o fundamento da páscoa, e nunca é discutido.
Simplesmente não falamos sobre isso, e somos as únicas pessoas que temos o livro que
fala acerca disso e quase a perdemos como doutrina da Igreja. Eu fiquei realmente
entusiasmado quando o Presidente Kimball a introduziu.
Ele disse: "Sabem, quero que todos compreendam que nesta vida, só possuímos uma
quantidade muito limitada de autoridade do Sacerdócio para poder agir. Há muitas
ordenanças que ainda receberemos na próxima vida. E uma delas, será a ordenança da
ressurreição" .
Não nos é permitido realizar essa ordenança aqui, é uma ordenança do sacerdócio só
realizada no outro lado, após esta vida. Também teremos a ordenança de gerar filhos
espirituais com os nossos corpos ressuscitados. Isso é algo que não temos poder nem
capacidade de o fazer aqui! Corpos físicos não, mas corpos espirituais sim.
Depois disso o presidente Kimball entrou num tema que deve parecer algo estranho para
alguns. Ele disse, que estaremos aptos a têr acesso às inteligências do universo, e
organizá-las, e criar planetas e organizar reinos. Esta não é uma doutrina maravilhosa ??.
Cada vez que discutimos isto, compreendemo-la um pouco mais, e este principio ajuda-
nos muito a compreender porque teria de haver uma EXPIAÇÂO.
Não sei se este tema alguma vez os incomodou ou não, mas quando era rapazinho,
sentado na escola dominical para jovens, e se falava sobre o terrível sofrimento de Jesus
Cristo na cruz, interrogava sempre os meus professores, "Quem queria aquilo? Porque
seria aquele sofrimento todo?" .
E o meu professor respondia: "Foi para satisfazer a vontade do Pai Celestial" , Isso não
respondeu à minha questão infantil. Parecia-me que se o Pai Celestial queria que
vivêssemos aqui na terra, depois de nos arrependeremos, ele simplesmente diria:
"Venham, vinde a mim, fizeram o melhor que podiam!" . Esta questão permaneceu
comigo toda a minha vida, bem ! pelo menos até ir para missão, fiz e tinha as mesmas
perguntas.
Um dia estava a andar com o presidente Widstoe, que estava encarregado das missões
europeias. Eu tinha somente dezassete anos quando fui chamado para servir a minha
missão, e pensei que essa era uma boa altura para expor ao irmão Widstoe todas as
perguntas que tinha em mente deste a minha infância. Por isso perguntei-lhe: "Porque
Jesus Cristo tinha de sofrer na Cruz?" .
Ele disse-me: "Quem te disse para perguntar isso?" , eu respondi: "Bem, sempre me
questionei a mim próprio acerca disso, ninguém me disse" . Pensei que tinha violado
alguma regra da missão. Ele disse-me então: "Se essa questão é tua, vou responder.
Esta é a questão mais profunda de evangelho de Jesus Cristo, e não deverá ser
respondida sem que as pessoas sejam primeiramente capazes de se questionar a elas
próprias acerca disso, para que possam ouvir. Vou dizer-te onde deves começar o estudo
e a ler" .
E assim fiz! Foi então que comecei a entender, grande parte no Livro de Mormon. Estava
no fim da minha missão quando pensei que já tinha entendido bem, e tive oportunidade
de relatar o meu estudo para o presidente Widstoe. Ele disse que necessitaria mais cerca
de quatro passagens de escrituras para entender tudo. "HO" disse eu, "que maravilha,
tenho gasto muito tempo a estudar este tema, estou imenso grato por lhe ter perguntado.
Então, onde estão localizadas essas quatro passagens?" . Ele respondeu: "não te vou
privar do prazer de as encontrares tu próprio!" . Eu disse, "presidente Widstoe, está a
dizer-me que terei que desenterrar mais estas?" Ele disse, "Sim, mas vou dizer-te mais
ou menos onde as poderás encontrar. A primeira está na primeira metade de D.& C.,
outra encontra-se no meio do Livro de Mormon" .
Bem, espalhou-as todas muito bem, para que eu praticamente tivesse lêr as obras
padrão todas novamente. Levei sete anos para as encontrar; até que finalmente as
encontrei.
Isto era exatamente o tema que o presidente Kimball falou naquela reunião de
sacerdócio.
Ele não o identificou ou associou com o tema da expiação, mas é o fundamento dela.
Bom, isto está escrito em muitos lugares da literatura da igreja, por isso se tiverem papel,
sugiro que escrevam as referências que vos dou, para que não tenham que as procurar
durante sete anos. De qualquer forma, se resolverem procurá-las todas, darão muito mais
valor do que somente dizerem "Pronto agora sei onde estão" . Ao lerem cada uma destas
passagens começarão a vêr um maravilhoso desenrolar, uma avalanche, uma verdadeira
cascata de verdade que foi derramada sobre os santos nestes ultimos dias. Temos
deixado parte dela correr sem notar realmente o que elas representam.
A primeira referencia é em 2Nefi 2:14; "E agora meus filhos, eu vos falo estas coisas para
que vos sirvam de instrução e sejam proveitosas; a Terra e tudo o que neles existe, tanto
as coisas que agem como as que recebem a ação" .
A próxima referencia está em D.& C.93:30; "Naquela esfera em que Deus a colocou, toda
a verdade é independente para agir por si mesma, assim como também toda inteligência;
doutra maneira, não há existência" .
Estas inteligencias são independentes, e agem voluntariamente. Não são compelidas, e
os céus esperam nelas até que obedeçam, exatamente como nós.
Nosso Pai celestial construiu todo este universo com estes elementos de ação. Este fator
de energia do universo é inteligência, e só opera rápido ou na direção que está disposta a
seguir.
Agora lemos em Abraão 3:19; "E o Senhor disse-me: Estes fatos existem, que há dois
espíritos, um mais inteligente que o outro; haverá outro mais inteligente do que eles; Eu
sou o Senhor teu DEUS e sou mais inteligente que todos eles" .
Estas inteligências estão escalonadas, da menor para a maior, a maior delas todas é o
próprio DEUS, e nós estamos no meio. Algumas delas foram designadas para se
tornarem plantas outras animais, e aquelas que eram as muito especiais, superiores,
inteligências super-luxuosas foram-lhes concedidas corpos feitos à imagem de Deus.
Nós somos essas inteligências, e somos pessoas muito, mas mesmo muito especiais.
Joseph Smith descreve isto na história documental da igreja, Vol.4 pág.519. Ele diz: "Esta
noite, expliquei ao quorum dos doze e às suas esposas a doutrina do progresso eterno
das inteligências" .
Mas ele não foi o suficientemente longe a ponto de nos explicar isso. Por isso, temos de
recorrer a Brigham Young, Parley e a Heber C.Kimball, e eles explicam aquilo que ele
lhes explicou, pois aprenderam essa doutrina através de Joseph Smith.
A próxima escritura é D.& C. 93:33. "Pois o homem é espírito. Os elementos são eternos,
e espírito e elemento, inseparavelmente ligados recebem a plenitude de alegria" .
Há uma coisa que age e outra que recebe a ação, a que age é chamado de "Elemento
Eterno", é matéria. Joseph Smith disse que a matéria em duas dimensões: os elementos
muito refinados que são chamados de espíritos; e os menos refinados que são chamados
matéria temporal, e é o que temos aqui. Tudo isto é matéria que existe em dois planos
diferentes: é como o gelo e a água, são verdadeiramente a mesma coisa, só que em
dimensões diferentes (podemos pensar nisto desta maneira). Tudo é feito de uma
combinação de inteligências (espírito), com a matéria (elemento). Eles são os "tijolos"
com os quais o universo foi construído.
Em Abraão 4:18,12,10 diz; "E os Deuses vigiaram aquelas coisas que Eles tinham
ordenado, até que elas obedeceram". "E os Deuses organizaram a terra para produzir
grama de sua própria semente, e a erva para produzir erva de sua própria semente,
produzindo semente segundo sua espécie; e a terra para produzir a arvore de sua própria
semente, produzindo fruto cuja semente podia somente produzir o mesmo que em si
mesmo, segundo sua espécie, e os Deuses viram que Eles eram obedecidos". "E os
Deuses chamaram à porção seca terra: e aos ajuntamentos das águas eles chamaram as
grandes águas: E os Deuses viram que eles eram obedecidos" . E Helamã 12:8-9. "Pois
eis que o pó da terra se move de cá para lá, dividindo-se segundo a ordem de nosso
grande e eterno Deus. Sim eis que a seu mando, tremem e agitam-se as colinas e os
montes" . Se vocês fossem cientistas, mesmo muito bons cientistas, esta informação
seria muito bem vinda, visto que os nossos cientistas pesquisadores mais avançados, no
puro campo da pesquisa, acabaram de provar que isto é verdade.
A matéria nem sempre funciona mecanicamente; tem contida um elemento finito de
inteligência. Foi isso que Burkson, filosofo francês lhe chamou. É capaz de distinguir,
nem sempre fazem aquilo que dizem as regras. Alguns desses pequenos elementos são
tão "chatinhos" quanto vocês ou eu; Dão voltas e voltas; Quando estão agregados,
dizemos que é devido a uma lei da química, agregados sim, mas olhem para eles
individualmente que esses pequenos elementos andam por aí às voltas; são matéria de
fato. Robert Miligon disse: "Se todos os elementos obedecerem a todas as leis da
química, nós nunca morreríamos" .
Há rebelião na carne, a essa rebelião podemos chamar "sementes da morte".
Elementos que tenham recebido inteligência ligada a eles, obedeceram ao comando de
Deus. Vocês querem que uma montanha se mova? Falem com ela: "Move-te !", e ela
move-se !Ela move-se quando Deus assim o comandar, ou quando o sacerdócio o faz
com a sua autorização. Quando Deus comanda, essas inteligências obedecem-lhe nos
elementos. Isto é encontrado em Jacó 4:6; 1Néfi 20:13.
Agora escutem as palavras de Brigham Young discutindo este principio: "Há luz ou
inteligências em toda a matéria através da vasta extensão das eternidades. Ela está nas
rochas, na areia, água, ar, gases e abreviando em todos os tipos de matéria organizada,
seja ela sólida, liquida ou gasosa, partícula operando partícula" .
De repente começamos a ter a visão do milagre da criação de Deus. Ele vai ás trevas
exteriores das inteligências desorganizadas e organiza pedaços de elementos,
combinando-os para que uma pequeníssima porção de matéria tenha uma inteligência e
assim ele pode comandá-las e se combinarem de certas maneiras. O Senhor diz: "Eu dei
um padrão a cada uma delas, que se torna a Lei pela qual elas agem" .
Algumas aceitaram a passagem de eletricidade e outras ofereceram resistência, algumas
combinar-se-ão com várias coisas e teremos como resultado uma combinação. Duas
partículas de hidrogênio e mais uma de oxigênio, formam aquilo a que chamamos de
água. Isso acontece porque é assim que elas estão organizadas. Elas estão tão
maravilhosamente organizadas que podemos agarrar uma pequena e complexa
organização chamada célula, que vai ser fertilizada por outra célula, em nove meses
devido à organização do DNA (que foi estabelecida por uma inteligência superior que é o
nosso Pai Celestial) ela se desenvolverá em ziliões de milhões de células até se tornar
num ser humano. E tudo segundo um modelo.
Agora deixem-me mostrar-lhes um exemplo, estão a ver a vossa mão? Ela é feita de pó!
Querem ver um milagre de engenharia e poder de Deus? Está nesta mão feita do pó. O
nosso Pai Celestial é capaz de falar a todas as inteligências de modo a torná-las
novamente em pó muito rápido ou dizer-lhes tal como disse à mão de Moisés, (Êxodo
4:6-7 Grifo nosso) "Moisés mete a tua mão em teu seio" e quando Moisés meteu a sua
mão em seu seio o Senhor disse para aquelas pequenas inteligências: "Agora meus
pequenos filhos transformem-se, talvez ......em....lepra" . Depois disse a Moisés: "Moisés
tira a tua mão para fora" . Lepra, incurável, dominava toda a sua mão prestes a
transformar-se de novo em pó. Disse o Senhor a Moisés: "Moisés mete de novo a tua
mão em teu seio" . Deus disse às pequenas inteligências: "Agora meus pequenos filhos,
cada um aos seus lugares iniciais" . Quando Moisés tirou a mão já se encontrava normal,
rosada, forte e limpa.
Este é o milagre de Deus. Nós somos filhos do milagre, todas as coisas à vossa volta é
um milagre, e pela primeira vês estamos a começar a compreender. Deus fala e elas
obedecem!.
Tudo é feito daquilo que age e daquilo que recebe a ação, e elas já nos foram indicadas
por nome. O presidente Kimball disse que no próximo mundo, é quando teremos acesso
a essas inteligências, para podermos organizar os nossos próprios grandes sistemas. ?
Nosso Pai celestial disse: "Vocês querem saber o que me torna Deus?" A fonte de Deus
está descrita em D.& C. 29:36 e em Moisés 4:1-4. O que pensas que o faz Deus? O que
torna um ser de repente ou depois do processo do tempo, Deus?
A lei e honra é o meu poder! .
Por isso quando ele fala às inteligências, elas organizam-se, chamamos a isto um
milagre; este mundo não é nada mais que um milagre; inteligências obedientes, esta é a
doutrina!.
Agora tendo isto em mente (D.& C. 29:36), o que é que aconteceria se o pai violasse a
confiança que as inteligências têm nele? O que acham que aconteceria? Nenhuma igreja
na face a terra se atreveu a anunciar a doutrina contida no Livro de Mórmon em Alma 42.
Nenhuma igreja sequer se atreveu a sugerir que Deus pudesse cair.
Nosso Pai celestial diz-nos: "Eu quero que saibam que eu ando continuamente na
"lamina da navalha" da lei celestial com o objetivo de manter a confiança e honra de
todas aqueles inteligências que confiam em mim porque essa é a fonte do meu poder" .
Isto agora dá-nos totalmente um novo entendimento sobre o nosso Pai Celestial.
Agora, em Alma 42:13,22,25; Ele repete-o vez após vez e em Mórmon 9:19 Ele repete-o
novamente, se fosse injusto, se fosse arbitrário, se fosse falso, deixaria de ser Deus!.
Quem se atreve a sugerir que nada pode acontecer de forma a desafiar o poder do todo
poderoso chefe dos Deuses. O nosso Pai Celestial diz-nos: "Quero que me
compreendam. Eu trabalho entre regras muito duras. Eu tenho que agir de acordo com
estas leis, para que possa desfrutar da sua confiança, e não a violar" .
Em Alma 34:9 o Pai diz: "Pois é necessário que haja uma expiação; porque de acordo
com o grande plano do Deus Eterno, deverá haver uma expiação, caso contrário toda a
humanidade perecerá; sim todos se tornarão obstinados; sim, todos estão decaídos e
perdidos, e hão de perecer se não houver expiação" .
Uma vez que Deus nos pôs neste segundo estado, ele perdeu a capacidade de nos
trazer de volta; se ele o fizesse, seria arbitrário, caprichoso e injusto e violaria as regras
pelo qual o reino foi estabelecido; assim ele perdeu a capacidade de nos trazer de volta
por si mesmo. Deus o Pai não nos pode salvar!.
Estas são algumas doutrinas da igreja, que solenemente pomos nestas dimensões. Mas
esta é a verdadeira história da Páscoa. De fato, o que diz nesta escritura, é que se não
houvesse uma maneira de voltar à presença do Pai, e esse encargo fosse deixado a ele,
sendo ele incapaz de nos fazer regressar à sua presença, acabaríamos por ter como
destino final as trevas exteriores, com Satanás e as suas hostes. Teríamos seguido pela
mesma estrada que eles.
E tudo aquilo que tinha sido organizado pelo Pai em conexão conosco, a nossa terra, as
outras terras, onde parte desta família está localizada e todas as criações ligadas com
elas seriam desintegradas e retornariam às trevas exteriores.
Isto leva-nos todos ao momento mágico de criação. Tudo o que tem a ver com nosso Pai
Celestial se torna muito mais racional, compreensível, e a admiração acelera de forma
que nos apercebemos o quão incrível, maravilhosa, e poderosa é esta personagem.
2Nefi 9:7-9, é nesta escritura que diz que acabaríamos por ter o mesmo destino que
Satanás e os seus anjos se não houvesse uma expiação. Está absolutamente além das
capacidades do nosso Pai Celestial levantar aqueles seus filhos que tropeçaram ao longo
do processo de aprendizagem a destinguir o bem do mal, e trazê-los de volta à sua
presença, visto que ele tem de agir de acordo com a lei.
Se ele não o fizesse, todas as outras inteligências lhe diriam: "Pai agora que eles
pecaram e regrediram em termos de glória, eles não podem voltar. Lembras-te de todas
as leis que nos trouxeram de volta? Nós não conseguimos ser aquelas pessoas
especiais, fomos graduados inferiormente! Lembras-te?? Lembras-te das leis sobre as
quais estavas sempre a falar?" .
As inteligências são aquelas que exigem justiça e não permitem que ninguém retorne a
Deus.
Estão a compreender o problema de Deus?.
Como Ele disse: "...Parariam de o honrar, e ele deixaria de ser Deus." Esta é a doutrina.
Agora, como podemos voltar a Deus??
"E não há homem algum que possa sacrificar o seu sangue para expiar pecados de
outrem. Ora, se o homem se torna assassino, tomará por isso a nossa lei, que é justa, a
vida de seus irmãos? Eu vos digo que não" . (Alma 34:11) .
Esta é a lei. A lei diz que nenhuma pessoa pode sofrer pelos pecados de uma outra
pessoa. Esta é a lei! É isso que todas aquelas pequeninas inteligências estão a dizer.
Parem agora um pouco e pensem porque as inteligências atuam assim. Se eu tivesse
quebrado uma lei, uma ofensa muito grave, poderias tu morrer por isso e satisfazer esta
audiência, achas que podias? Ainda que nos amemos e que tu dissesses a todos eles:
"Não, não permitam que o irmão Skousen seja morto, eu morrerei por ele" , pensas tu
que eles ficariam felizes e satisfeitos com isso? NÃO! Isto violaria as leis da justiça, e a
mesma coisa aconteceria com todas aquelas pequeninas inteligências.
Em Alma 34:11 diz que nenhuma pessoa pode morrer ou ser punida pelos pecados de
outra e fazer com isso que seja aceite como justiça! As exigências da justiça é o que
aquelas pequenas inteligências insistem. As inteligências dizem: "Eles não podem voltar
a ti Pai" . Estás a ver o problema??
Agora, o genial da solução é que os Deuses sabem que estas pequenas inteligências tem
capacidade de sentir compaixão. Elas são exatamente como eu ou tu, por isso a
expiação não é baseada na lei, mas sim na misericórdia, isso está em Alma 34:15. Por
outras palavras, vamos tentar "tocar" essas inteligências de alguma maneira que possa
sobrepujar as exigências da justiça, com o quê? Bondade e misericórdia, para que nós
possamos sobrepujar as exigências da justiça.
A família de Deus deve têr planeado estas coisas à muito mas muito tempo, visto que isto
é um padrão. Lembram-se de quando estávamos a selecionar um Salvador? Jesus
voluntariou-se, e Satanás disse: "Sabes Pai, isto é uma moda muito antiga para mim, isto
não é necessário, quando podes satisfazer as inteligências do universo somente pondo-lhes
um colete de forças e fazê-los passar pelo segundo estado. Acho que é realmente
uma grande idéia, e mereço todo o crédito pois estou a oferecer a toda família um seguro
contra todos os riscos. A única coisa que peço é que retires o livre arbítrio só por um
pouco de tempo e pôr-lhes um colete de forças e assim passá-los pelo segundo estado,
depois as inteligências não os podem rejeitar; enviamo-los, damos-lhes corpos, evitamos
qualquer quebra de leis, e depois trazemo-las de volta. É muito simples!!" .
"NÃO" , disse o Pai, "Não é assim tão simples" .
Aparentemente implica, que se introduzisse compulsão, e conduzisse até ao eterno plano
de salvação, ou até ao universo cósmico, a coesão dominaria aí, e semeava sementes de
quê? De revolução, desintegração; tudo aquilo que existe, move-se de livre vontade,
desta forma não existe revolução, e Satanás diz: "Vou começar uma revolução!!" E ele fê-la.
Jesus disse: "Pai, eu fá-lo-ei à tua maneira. Fá-lo-ei da maneira que sempre teve de ser.
Teremos baixas, isso é verdade, mas pelo menos manteremos a participação voluntária
que sempre tivemos nos passado. Sei que alguém tem de sofrer de forma a expiar e a
despertar o sentido da compaixão, e eu posso fazê-lo" .
A revelação diz que a guerra no céu foi uma reunião de testemunhos, visto que dizíamos
uns aos outros: "O plano de Pai é o plano certo" . Não queremos introduzir a compulsão.
Se começarmos a usar compulsão, sabe-se lá onde vamos parar. Lúcifer está a tentar
roubar o trono ao nosso Pai Celestial, e quer a glória para ele. Não há nada no plano de
Satanás a não ser rebelião e destruição.
No final conseguimos ter dois terços do nosso lado. No principio tínhamos uma minoria
conosco, mas conseguimos no final dois terços, e o outro terço apoiou o plano seguro, o
plano contra todos os riscos. Eles não quiseram arriscar conosco.
Pronto, agora vamos saber como trabalha a expiação. Observem como este principio
funciona. Ponha-se no lugar de uma inteligência, capaz de ser submetida a sentimentos
como simpatia e compaixão! Vocês deixam de pedir contas por todo o pedaço de lei.
Sabes que a lei permite isso! Já notaram? FUNCIONA!! Vamos ao tal principio: Elas tem
que ter uma pessoa que seja infinita como diz em Alma 34, alguém que seja amada.
Infinitamente significa completamente, todos o sabem!.
Por isso foi escolhido um espírito tão superior, é o primeiro conselheiro da presidência lá
do céu.
Ele é tão honrado, que quando o Pai quer fazer algo, ele fala-lhe e então diz às
inteligências o que fazer, ele é identificado como o Verbo ou a Palavra. Ele é aquele por
quem passa a palavra. Ele é amado e respeitado por todos, tal como o Pai.
Por isso vamos usá-lo. Ele é infinitamente amado, e fizemo-lo vir cá abaixo ao segundo
estado, viver uma vida perfeita e sem ofensa, para que possa voltar à presença do Pai.
Enquanto trabalhava entre a família humana, fizemo-lo sofrer tão terrivelmente que as
pequenas inteligências em todo o universo se revoltaram! É terrível o sofrimento pelo
qual ele teve que passar, elas amavam-no como diz no Livro de Mórmon, que mesmo os
elementos da terra do norte não suportaram e houve grande destruição como nunca
houve antes. Os próprios elementos estavam a chorar por alguém que eles amavam, e
contra a terrível tortura que ele estava a sofrer.
E tudo isto por desígnio! Esta era a missão de Jesus o Cristo. Ele sofreu tanto que
quando ele interceder em nosso favor, porque nós fizemos o nosso melhor, através do
arrependimento, que aquelas pequenas inteligências dirão: "Bom, eles realmente não
poderiam voltar, mas se tu queres! Afinal sofreste por eles, sim, eles podem entrar".
Isto é a EXPIAÇÂO. Ouçam Alma 34:15-16, assim como os profetas, que costumavam
entender e pregar intensivamente. Ouçam os versículos: "E assim trará a salvação a
todos quantos acreditarem no seu nome, sendo a finalidade do seu sacrifício despertar as
entranhas da misericórdia, que sobrepuja a justiça, dando meios para que os homens
possam ter fé e se arrepender.
E assim a misericórdia pode satisfazer as exigências da justiça, e os envolve nos braços
da segurança, enquanto que aqueles que não exercem a fé para o arrependimento ficam
expostos a todas as disposições das exigências da justiça; portanto, apenas sobre os que
possuem fé para se arrepender tem efeito o grande e eterno plano da redenção" .
Vou lêr agora D.& C.45:3-5, e ouçam o Salvador a falar-nos sobre o assunto: "Ouvi
aquele que é o advogado junto ao pai, e que está pleiteando a vossa causa perante Ele.
Dizendo: Pai, contempla os sofrimentos e a morte daquele que não cometeu pecado, em
quem Te comprazes; contempla o sangue do Teu Filho que foi derramado, o sangue
daquele que deste para que Tu mesmo fosses glorificado; Portanto, Pai, poupa estes
Meus irmãos que crêem em Meu nome, para que possam vir a Mim e ter a vida eterna" .
Salvador não pleiteou junto ao Pai por aqueles que não crêem nele; Ele não podia. Não
lhe era permitido, pois assim não havia justiça. Mas pleiteou junto ao Pai por aqueles que
acreditaram nele para que pudesse vir a Ele e tivessem a vida eterna.
Deus o Pai agora pode fazê-lo sem deixar de ser Deus por causa do
quê??...MISERICORDIA!!
Deixem-me dar-lhes um exemplo de como isto funciona.
Durante a guerra civil Americana, houve um soldado de 19 anos que adormeceu
enquanto estava de guarda. Uma secção inteira de soldados do norte foram mortos
naquele sector, ele perdeu muitos dos seus amigos, e tudo porque ele adormeceu e os
sulistas conseguiram atacar de surpresa com sucesso, naquele flanco de defesa. Ele
sobreviveu, foi a tribunal de guerra, e foi sentenciado a sofrer a morte por enforcamento,
ter negligenciado o seu dever, e ter adormecido enquanto servia de vigia, o que é rotina
na lei militar.
A sentença de morte, e a ordem de execução foram colocadas na secretária do
presidente Lincoln, e ele estava preparado para assinar. Tínhamos perdido um lote inteiro
de valiosos homens, porque um soldado de 19 anos adormeceu. (Não me lembro se foi
através de uma carta ou de visita pessoal, mas isso não é significativo) O presidente
Lincoln recebeu um comunicado de uma senhora idosa (penso que pessoalmente), e
esta mãe disse ao presidente: "Quando a guerra começou tinha marido e seis filhos.
Primeiro perdi o meu marido e depois perdi cinco dos meus filhos. Agora só me resta um
único filho, e ele está prestes a ser executado por negligência em serviço. Ele sente-se
extremamente mal acerca do sucedido, e sabe que merece morrer, ele está à espera de
morrer, mas, presidente Lincoln, eu questiono-me, se talvez devido ao poder de perdoar
que o Sr. tem devido à Constituição, se por mim poderia perdoar o meu ultimo filho, e
deixá-lo viver" .
O presidente Lincoln disse aquela mãe: "Por si, dou perdão ao seu filho. Eu oro a Deus
que ele sobreviva à guerra e que lhe seja uma benção todos os dias da sua vida" .
Devemos perdoar sempre até 70 vezes 7 como Jesus ensinou, e lembrar sempre que
não estamos livres de estar numa posição similar à daquele jovem soldado.
Estão a ver como funciona a compaixão? Sobrepuja completamente as exigências da
justiça, e ninguém critica o presidente Lincoln por ter usado o seu poder de conceder
perdão naquele caso, visto que todos nós sabemos da intercessão daquela mãe. É assim
que todos somos.
Quando foram para a ultima ceia, a Páscoa do cordeiro, e Ele olhou para os 12 e disse:
"Em verdade vos digo que um de vós me há-de trair" . E Pedro disse a João: "Tu que
estás mais perto de Jesus, Pergunta-lhe quem o vai trair" . E João o bem amado disse :
"Senhor, quem??" . E o Salvador sussurrou: "Aquele a quem dou a ceia" . E pegando
num pedaço de pão, deu a Judas e disse: "agora faz o que tens de fazer" . E Judas saiu.
Pergunto-me se Judas suspeitava que talvez Jesus soubesse, não sabemos. De fato,
achamos que não, ele já tinha recebido as trinta moedas de prata. Ele já tinha
concordado em trair o Cristo. E ele, Judas foi ter com os anciaos da cidade.
Diz-se que nesta altura Jesus ficou muito deprimido, então ele levantou-se e fez aquela
maravilhosa oração de sumo-sacerdote que encontramos em João 17:20-21, onde Ele
pede ao Pai desta forma: "Eu não rogo somente por estes, mas também por aqueles que
pela sua palavra hão-de crer em mim; Para que todos sejam um, como tu o Pai, o és em
mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me
enviaste" . E no maior sofrimento e angustia ele intercedeu naquela oração. Então disse:
"Partamos, eu preciso de orar" .
E assim, partiram da parte da cidade onde viviam as pessoas mais pobres (pensamos
que foi aí que isto realmente ocorreu). Atravessaram a praça do templo, saíram pelo
portão dourado no lado Este, e prosseguiram o trajeto do ribeiro de Kidron até subirem ao
topo do Monte da Oliveiras onde já estivera durante duas semanas.
Já de noite, e ao prosseguirem na subida, Jesus dirigindo-se a oito dos seus discípulos
diz-lhes para permanecerem junto ao portão. Ele levou Pedro, Tiago e João, entrou no
jardim, e então disse-lhes que ficassem ali e vigiassem. Afastou-se então um pouco, e
subindo o lado da colina embrenhou-se um pouco mais no jardim.
Aparentemente, João foi o único que ficou acordado, e ouviu cair de corpo inteiro no
chão. Ele não se ajoelhou numa rocha, diz lá que "prostrou-se sobre o seu rosto" . Ele
disse: "Ó Pai, todas as coisa te são possíveis, afasta de mim este cálice, todavia não se
faça a minha vontade mas a tua" .
Reparem que o que ele está a dizer é "Pai tu és Deus! Tu és todo poderoso. Todas as
coisas te são possíveis, não me faças passar por isto. Podes resolver isto de outra forma".
Então o anjo que desceu para ministrar a Jesus, indubitavelmente lhe explicou uma coisa
da qual Ele se tinha esquecido. Tinha se esquecido da sua preexistência, pois tinha
nascido para sofrer e morrer!
O que o anjo lhe deve ter dito, ainda que não tenhamos um registro da mensagem não
ficaria nem um pouco surpreendido se não tivesse sido algo como isto: "Ó Jeová, Tu és o
filho de Deus, não tens que fazer isto a menos que o desejes, mas deves saber que se
não cumprires esta missão, o Pai perderá, não só esta família, como toda a sua família, e
também toda a criação e tudo o que está associado a ela; os planetas, as plantas, os
animais e tudo aquilo que pelas tuas próprias mãos construíste, estará perdido e voltará
ao caos e ás trevas exteriores de onde são provenientes" .
Isto é o que eu suponho que o anjo lhe deve ter dito porque quando o anjo terminou a
sua ministração, Jesus disse: "seja feita a tua vontade".
E Ele suou gotas de sangue, os canais do seu fluído da vida nem sequer puderam conter
o sangue, e este invadiu as glândulas sudoríferas, e derramou-se para fora da pele como
grandes gotas de sangue.
Que agonia aquele momento!
Não teríamos conseguido suportar aquilo. Não temos sequer uma vaga idéia o quão
terrível foi aquele sofrimento, mas Jesus deu-nos alguma idéia como foi em D.& C.19:15
19. "Portanto, ordeno que te arrependas -arrepende-te para que Eu não te fira com a
vara da minha boca, e com a Minha ira, e com a minha cólera, e os teus sofrimentos
sejam dolorosos -quão dolorosos tu não o sabes, nem quão pungentes, sim, e nem quão
difíceis de suportar. Pois eis que Eu, Deus, sofri estas coisas por todos, para que
arrependendo-se não precisassem sofrer; Mas, se não se arrependessem, deveriam
sofre assim como Eu sofri. Sofrimento que Me fez, mesmo sendo Deus, o mais grandioso
de todos, tremer de dor e sangrar por todos os poros, sofrer, tanto corporal como
espiritualmente -desejar não ter de beber a amarga taça e recuar. Todavia, gloria ao Pai,
Eu tomei da taça e terminei as preparações que fizera para os filhos do homem". Agora,
vais aceitar isto?? Cristo disse: "Fiz isto por ti, não o desperdices; se fores obediente e te
arrependeres o espírito justifica-te e serás santificado; não desperdices tudo isto, não
uses o nome de Deus em vão. Eu fi-lo por ti, agora vinde a mim, lembra-te, vinde a mim" .
Bom...! Depois disso, Judas veio com os saldados. Jesus ouvi-os e voltou-se para onde
estavam os 3 apóstolos à espera, e encontrou-os a dormir. Talvez soubessem mais se
eles não tivessem adormecido.
Era de noite, os soldados vinham com Judas, eles tinham tochas. Já tinham visto Jesus
na praça do templo, Judas veio até perto dele, tomou-o nos seus braços e disse: "Ave,
mestre" .Salvador olhou para ele e disse: "Judas, tu trais o filho de homem com um
beijo?" .
Nessa altura os soldados gritaram: "prendam-no, prendam-no" . E todos os outros
fugiram. Estava lá um rapazinho, acabado de chegar, com o intento de avisar o salvador
que tinha acabado de se levantar, (achamos que era o pequeno Marcos, porque Marcos é o
único que se refere a ele).
O rapazinho estava envolto em um lençol. Aparentemente veio com o propósito de avisar
o Salvador. Talvez ele tenha visto os soldados a caminho (suponho eu).
Depois disso, o Salvador foi levado a casa de Anás, e logo de seguida a casa de Caifás.
Todos se lembram da noite terrível que Ele passou. Lembram-se das 3 vezes que Pedro
negou Jesus. Pedro estava petrificado, ele nunca se perdoou por ter negado a Jesus.
Na manhã seguinte houve um julgamento ilegal perante o sinédrio e como não podiam
matar Jesus sem o consentimento publico de Pilatos; Levaram-no para uma praça aberta
perto da praça do templo e apresentaram Jesus perante Pilatos. Este tentou criar
simpatia em seus corações chicotiando Jesus e pondo-lhe uma coroa de espinhos. E o
sangue correu pela face dele com as suas vestes já cheias de sangue; Pilatos trouxe-o e
disse: "Olhem para este homem!" , o povo gritou: "CRUCIFIQUEM-NO, isso não é
suficiente, CRUCIFIQUEM-NO" "Tragam-me água" . Disse Pilatos, "Vejam, lavo as
minhas mãos deste julgamento. Crucifiquem-no" .
Então, eles levaram-no com a cruz, e ele carregou-a enquanto o seu corpo dorido
conseguiu suportar a dor. Finalmente levaram-no ao topo do Lugar da Caveira, e lá
pregaram os pregos, primeiro nas suas mãos, depois nos pés, e por fim puseram a cruz
de pé. Dois ladrões foram crucificados, um de cada lado. A terra tremeu, o céu escureceu
à hora do meio dia e assim permaneceu com a terra tremendo ocasionalmente até às 3
horas da tarde.
Todo o continente Americano tremia, e como ele, as ilhas do mar.
Já perto do fim ele gritou: "tenho sede" , puseram vinagre numa esponja, porque isso
supostamente aliviaria um pouco a dor.
Em agonia olhou para baixo: "João eis aqui a tua mãe, mãe eis aí o teu filho" .
Aparentemente José tinha morrido, e ele estava a dizer: "João toma conta de Maria" .
Começaram então a atormenta-lo, a aborrece-lo, a acusarem-no dizendo: "porque não
desces da cruz, porque não te salvas a ti próprio" . Tudo isto também pode ser
encontrado em Salmos 22. Tudo isto tinha sido visto por Davi, ele sabia as próprias
palavras que Jesus diria.
Então, quando a agonia era quase insuportável, e a noite estava a cair, eles teriam que
partir as pernas aos crucificados para que morressem mais rapidamente. E à hora nona
exclamou Jesus em voz alta; "Eloi Eloi, lama Sabactâni?" , isto é Deus meu Deus meu,
porque me desamparaste?.
O espirito de Deus retirou-se deste homem. Ele tinha que o fazer só, agoniar na cruz,
mas por breves momentos. Então o espírito de Deus voltou a Ele dizendo: "Meu filho, eu
estou aqui. Conseguiste" .
Jesus então levantou a sua face e disse: "está terminado. Pai, nas tuas mãos entrego o
meu espírito!" e assim morreu. Naquele momento, Jesus tornou-se no CRISTO.
Ele tinha feito tudo aquilo que era necessário para sobrepujar as exigências da justiça
para que pudéssemos voltar a Deus.
Ele conseguiu!! E pelo poder daquela grande força que estava nele, em três dias e três
noites conseguiria levantar-se, ressuscitar, purificar e glorificar o seu corpo.
E é uma emoção tão grande contemplar Maria Madalena e a outra Maria enquanto
vinham apoiando-se uma na outra, e acharam a porta do sepulcro revolvida!, cremos que
sabemos mais ou menos a localização do sepulcro, não temos a certeza, mas a
descrição encaixa perfeitamente. É mesmo ao fundo de uma colina descrita pelo
salvador. É o único sepulcro existente ali.
Quando não encontraram o corpo ficaram perplexas, e pensaram que alguém tinha
roubado o corpo. Talvez tenha sido o jardineiro, e quando ela o vê em pé ali parado olha
o por entre lágrimas e diz: "Senhor se tu o levaste daqui, dize-me onde o puseste, e eu o
levarei" .
A pessoa que estava ali disse: "Maria" ela olhou para ele e disse: "Raboni" e Ele disse-
lhe: "Não me toques porque ainda não subi para o meu Pai e vosso Pai, meu Deus e
vosso Deus" . E dizendo isto subiu para o Pai. (João 20:11-17)
Esta é a história da Páscoa.
Nosso Pai celestial sofreu tanto nessa noite no jardim Getsêmani. Quando aquele filho
que estava ali prostrado nas folhas por debaixo das oliveiras e disse: "Ó Pai de se for
possível afasta de mim este cálice" , que quis dizer que pelo menos algum dos seus filhos
aqui na terra pudesse saber como foi aquela noite para ele. Por isso Ele disse ao nosso
grande ancestral Abraão: "quero que pegues no teu filho amado, o leves até ao topo do
monte Moria e que mo ofereças em sacrifício".
"PORQUÊ ??" , disse Abraão. "Toda a minha vida tenho pregado contra o erro que é o
sacrifício humano. Meu único filho, e tu Senhor prometeste levantar uma semente, tão
numerosa como as areias da praia. Agora tenho de matá-lo??"
Sem dizer a Sara, ele levou o seu jovem filho, provavelmente já na sua adolescência,
para o topo do monte Moria, e lá disse ao seu filho que não o teria se não fosse através
de uma benção especial de Deus para que a mãe o pudesse conceber; e Ele enviou-te a
mim e agora quer tomar-te de volta. Não por doença, guerra ou velhice, mas por sacrifício
a Ele.
Ele levantou a faca; oh que angustia de pai. Em Jacó 4:5 no Livro de Mormon, diz que
isto aconteceu para simbolizar os sentimentos de pai e do filho. Isso aconteceu para que
pelo menos um pai humano pudesse saber como foi a angustia e a dor naquela noite no
Jardim de Getsêmani. Como Jesus disse: "Aba, Pai todas as coisas te são possíveis;
afasta de mim este cálice" .
Vou acabar por aqui. Talvez agora possam começar a entender esta maravilhosa
doutrina sobre o qual o Presidente Kimball falou na reunião de sacerdócio.
As inteligências do Universo, e o fato de que a honra de Deus é aquilo que o torna Deus.
O fato de que se Ele perde a sua confiança, Ele simplesmente cessa de ser Deus. Estas
são doutrinas básicas do evangelho restaurado, assim como Jacó 2 relata.
Porque não falamos mais acerca da Expiação? Acerca da ressurreição?. Acho que
estamos de acordo de que poderíamos falar acerca da verdadeira base da Expiação.
Falamos acerca disso como um fato comprovado sem nunca tentar a aproximação ao Pai
e dizer: "Pai Celestial, acho que agora compreendo um pouco" .
Não sei o que este conhecimento lhes faz, mas a mim fez-me amar o meu Pai celestial
como nunca aconteceu antes, e aprendi a amar o meu salvador Jesus Cristo como
nunca.
Agora sei o que estas duas maravilhosas Personagens fizeram por mim e por ti. E todas
as crianças deste mundo e todas as pessoas deste planeta e todas as maravilhosas
coisas com que Eles nos abençoaram teriam sido destruídas ou perdidas para sempre se
eles não fizessem o que fizeram. Por isso eu Os amo muito!. E presto o meu testemunho
a vocês meus irmãos e irmãs do fundo do meu coração, de que Jesus é o Cristo, e temos
um Pai Celestial que nos ama. A Expiação é um principio ativo e verdadeiro; a
ressurreição é uma realidade; o perdão dos pecados é possível, e se nos arrependermos
sinceramente podemos ser restaurados e voltarmos para nosso Pai Celestial. (Isaias
1:18)
Oro a nosso Pai Celestial para que não o decepcionemos, e assim sejamos bons
missionários compartilhando esta grandiosa mensagem com o nosso próximo, e
tomemos todos os filhos de Deus e possamos encontrar e compartilhar os 13
maravilhosos passos selecionados no fim destas palavras. Este é o meio pelo qual
podemos alcançar os filhos de Deus. Os passos descrevem o valor de cada benção que
podemos transmitir. Sem os chocar devemos agir de maneira que possam aprender
dentro da sua capacidade de assimilação. Cada alma que possamos ajudar a salvar,
nosso Pai Celestial nos abençoará mais do que podemos entender ou sonhar.
Agradeço o convite de discursar para vocês esta noite. Estou grato por sentir toda a noite
a presença do vosso doce espírito, com que o nosso Pai Celestial os abençoou.
E agora ao deixar este Vale, levo comigo algumas boas memórias.
Tentarei voltar em Outubro, deixo a minha benção e oração para vós e vossa família para
que possam ser dignos da Expiação de Jesus Cristo e do seu evangelho que foi
restaurado para nossa salvação.
Esta é a minha oração em nome de Jesus Cristo, Amém.

1 -2Néfi 2:14 . As coisas que agem a as que recebem acção.
2 -D.& C. 93:29 . As inteligências sempre existiram.
3 -D.& C. 93:30 . As inteligências agem quando estão prontas.
4 -Abraão 3:19,23 . De todas as inteligências Deus é a maior.
5 -D.& C. 93:33 . Os elementos são eternos.
6 -Abraão 4:10,12,18 . Os elementos têm inteligências. (Helamã 12:8-9) .
7 -Jacó 4:6 . As inteligências obedecem a Deus. (1Néfi 20:13) .
8 -D.& C. 29:36; Moisés 4:1,4; Alma 42:13,22,25; Moroni 9:19 . A fonte do Poder de
Deus é a honra.
9 -Alma 34:9; 2Néfi 9:9 . Quando estamos na terra, Deus não nos pode salvar, e não nos
pode trazer de volta.
10 -Alma 34:11 . Ninguém pode sofrer pelos pecados de outrem.
11 -Alma 34:15 . As inteligências têm capacidade para sentir compaixão. A expiação é
baseada na misericórdia e justiça.
12 -D. &C.45:3. Misericórdia sobrepuja a lei.
13 -D. & C. 19:15,19 . A Expiação.
A EXPIAÇÃO: por Cleon Skousen
Traduzido e escrito em Português por Américo Nunes e Sandra Nunes